Dor nas costas lidera afastamentos do trabalho no País

A dor nas costas é a causa líder dos afastamentos de trabalhadores no País. Foram 116 mil só no ano passado, afinal, cerca de 40% dos brasileiros reclamam e 36% têm o problema já crônico. Pela queixa ser comum, muita gente minimiza o sintoma. O que poucos sabem é que a dor na coluna pode indicar outras doenças.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT), a queixa da dor crônica nas costas é apresentada geralmente por pacientes a partir dos 40 anos e o problema costuma ser consequência de uma vida com maus hábitos de postura e sedentarismo, o que favorece o aparecimento, por exemplo, de desvios na coluna (escoliose), hérnia de disco, entre outros.

Porém, esses são os casos em que o mal na coluna é a causa primária. Dores não crônicas persistentes, de cerca de um mês, podem indicar que o sintoma nas costas é um fator secundário, como explica o ortopedista especialista em coluna do Hospital Igesp, Ricardo Teixeira e Silva.

“Algumas dores que surgem na coluna são sinais de doenças em outras regiões do corpo. É o que a gente chama de bandeiras vermelhas nas lombalgias (dor na coluna lombar). Em quadros de tumor, por exemplo, o principal local de metástase é a coluna. É uma dor que não cede com medicamentos”, diz o especialista.

Entre outros exemplos das bandeiras vermelhas, às vezes o paciente tem uma dor lombar que irradia para pernas, mas pode ser um problema de circulação.

Em casos de outras inflamações ou infecções, o paciente pode ter dor na coluna junto com febre ou prostração. Sem saber do que se trata, acha que é um simples resfriado, adia a ida ao médico ou demora para obter o diagnóstico.

“Infelizmente, isso acontece bastante. A maioria das dores nas costas vai melhorar com o tratamento mais simples, com remédio. Mas, muitas vezes, as dores são negligenciadas e a gente perde o melhor momento do tratamento de alguma doença. Se tem dor nas costas persistindo, o ideal é procurar o ortopedista especialista em coluna”, diz Teixeira e Silva.

Roger Diniz, professor de Ortopedia da Unimes e mestre pela Unifesp, conta que outro exemplo que aparece semanas antes e tende a ser ignorada é a dor nas costas como sinal de infarto. Há, segundo ele, outras enfermidades quase nunca associadas a esse sintoma.

“Muitas mulheres que chegam procurando tratamento para dor no cóccix, na região lombar, têm, na verdade, endometriose. Por isso, o ideal é passar logo no ortopedista e ver se a causa da dor é primaria ou irradiada”, aponta, citando males ainda mais graves, como o aneurisma de aorta abdominal. “É um aumento da artéria aorta que, dilatada, pode se romper e causar dor nas costas, na altura do abdômen”.

Segundo o especialista, um sinal de alerta que o paciente pode sentir é a dor aguda que o acorda durante a noite. “Especialmente esse tipo de sintoma precisa ser logo investigado”, diz.

Tratamentos

Tratamento e recuperação dependem da causa e estágio da doença. Mas vão de controle da dor com medicamentos até fisioterapia com exercício para correção postural ou, em alguns casos, cirurgia. Já quando as dores nas costas indicam outros problemas, especialistas em coluna encaminham os pacientes a outros profissionais da área.

No geral, hábitos de vida saudável e boa postura são essenciais na prevenção das dores na coluna em geral. Alongar o corpo em exercícios frequentes, fortalecer a musculatura, evitar o sobrepeso e o tabagismo contribuem na prevenção.

Fonte: A Tribuna

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading...
%d blogueiros gostam disto: