O lúpus e o desafio da sua imprevisibilidade

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença autoimune que pode acometer praticamente qualquer parte do organismo, como as articulações, pele, rins, coração, pulmões, vasos e sistema nervoso. Infelizmente, não há como saber se a enfermidade vai se manifestar um dia e em qual parte do corpo.

“O maior desafio é a imprevisibilidade da doença. O lúpus cutâneo pode evoluir para o sistêmico a qualquer momento e podem ocorrer “flare ups” (surto, explosão). Por isso, é necessário monitorar a atividade da enfermidade através de consultas regulares, titulação de FAN e autoanticorpos, e exames laboratoriais direcionados para os órgãos acometidos. Outro grande desafio é o acesso às medicações imunossupressoras necessárias para o controle da doença mais grave, apesar de, em geral, serem fornecidas pelas farmácias do estado, mas frequentemente ocorre desabastecimento e o custo alto torna inviável adquirir por conta própria”, destacou o médico dermatologista Eduardo Mastrangelo M. Falcão, chefe do serviço de dermatologia do Hospital São Vicente de Paulo, no Rio de Janeiro, em entrevista ao Portal PEBMED.

O teste do Fator Antinúcleo (FAN) é um importante teste para triagem de enfermidades autoimunes, porém outras condições clínicas podem alterar esse exame. Contudo, é importante ressaltar que o FAN é positivo apenas entre 10 a 15% da população saudável e também pode dar positivo nos casos de doenças inflamatórias, neoplasias, no uso de alguns medicamentos e na vigência de algumas infecções.

“O diagnóstico do lúpus é relativamente simples, pois temos critérios classificatórios bem estabelecidos que são aplicados mundialmente. A dificuldade advém do fato de que nem todos os sintomas aparecem de uma só vez. Daí, às vezes, fica difícil associar eventos passados, a não ser por uma anamnese bem completa”, esclareceu a reumatologista Selma da Costa Silva Merenlender, diretora técnica do Centro Multidisciplinar Fluminense e da clínica ImunoFluminense e ex-presidente da Sociedade de Reumatologia do Rio de Janeiro (SRRJ), em entrevista ao Portal  PEBMED.

Fonte: PEBMED

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading...
%d blogueiros gostam disto: