Osteoporose e Osteopenia – Qual a diferença?

Sempre ouvimos falar em Osteoporose e normalmente o comentário está associado a uma mulher idosa, porém nós nos enganamos em relação à isso, os pacientes com doenças que necessitam do uso da prednisona, também estão sujeitos a desenvolver uma osteoporose ou osteopenia, você sabe a diferença?
A osteoporose é uma doença caracterizada pela diminuição da massa óssea do corpo, levando à fraqueza dos ossos e ao aumento do risco de fraturas.
No início não há sintomas. Como a doença é silenciosa e avança lentamente, geralmente a pessoa só descobre que tem osteoporose depois de fraturar um osso. Na osteoporose avançada pode haver dor e fraturas freqüentes.
A osteopenia é um alerta do corpo indicando a diminuição desta massa óssea. Diagnosticada pela densitometria óssea, a osteopenia, se não tratada, pode levar ao desenvolvimento de osteoporose.
Na menopausa ocorre a diminuição da produção de um hormônio chamado estrógeno, provocando a perda de massa óssea e dificultando a produção de células ósseas. Isso favorece o desenvolvimento da osteoporose.
Reumatologistas, endocrinologistas, ginecologistas e geriatras são alguns especialistas que estudam e tratam a doença. Os ortopedistas também acompanham esses pacientes devido às fraturas. E a fisioterapia pode estimular a formação e a manutenção da massa óssea, por meio de exercícios e recursos específicos.
O exame de densitometria óssea é o que mais fornece informações para o diagnóstico e o acompanhamento da doença.  Trata-se um exame rápido, indolor e que envolve poucas radiações. Ele é capaz de mostrar a quantidade de massa óssea e informar se, naquele momento, a pessoa apresenta uma massa óssea normal, osteopenia ou se já tem osteoporose. Por osteopenia, entende-se uma massa óssea reduzida, que pode evoluir para osteoporose.Normalmente, as regiões estudadas são o colo de fêmur (onde as fraturas estão relacionadas às complicações mais graves) e as vértebras lombares (onde a perda é maior e mais rápida após a menopausa).Também podem ser feitos exames de sangue e de urina. Entretanto, além do diagnóstico da doença por meio da densitometria, é importante descobrir suas causas, por meio da história clínica e dos fatores de risco.
As pessoas mais suscetíveis a desenvolver a osteoporose são as seguintes:
  • Pessoas que tem histórico familiar de osteoporose;
  • Fumantes
  • Do sexo feminino;
  • Que ingerem mais de duas doses de bebidas alcoólicas por dia;
  • Que não praticam atividades físicas;
  • Com idade avançada
  • Que fazem o uso contínuo e prolongado de corticoides e anti-convulsivantes;
  • Que ingerem cálcio por conta própria;
  • Que bebem muito café
  • Que são de etnia branca ou asiática;
  • Que tiveram menopausa antes dos 45 anos;
  • Que não pegam o solzinho da manhã.

A osteoporose deve ser prevenida desde a infância, quando os ossos estão se formando e tornando-se fortes. Para isso, durante toda a vida é necessária uma alimentação adequada e rica em cálcio e fazer atividades físicas regularmente. Também é importante fazer um acompanhamento periódico, por meio da densitometria óssea, principalmente no climatério e após a menopausa.E se você  faz uso de medicamentos que causam perda de massa óssea é sempre aconselhável fazer o exame  que detecta o nível de cálcio e vitamina D no sangue.
E se o seu caso já for comprovado que é osteoporose além do aumento da ingestão de cálcio, deve-se realizar exercícios físicos com impacto, sempre sob a supervisão de um profissional, como o fisioterapeuta. É muito importante a prevenção de quedas para evitar a conseqüência mais grave da osteoporose, que é a fratura. Desta forma, deve-se evitar pisos escorregadios, não andar pela casa no escuro, descer a escada sempre segurando o corrimão etc.
 
 
 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading...
%d blogueiros gostam disto: