Pearl Jam: Mike McCready fala sobre convivencia com a doença de Crohn

Uma entrevista histórica foi realizada no mês de Setembro/2015 com o guitarrista do PEARL JAM, Mike McCready, pelo site musical Alternative Nation (jornalista Brett Buchanan). Mike foi muito gentil e falou sobre a doença de Crohn (da qual ele sofre há quase 30 anos), do estado atual da indústria da música, do trabalho com o Eddie Vedder (vocalista do PEARL JAM) na música chamada “Given to Fly”, da saída da banda do baterista do PEARL JAM, o Dave Abbruzzese, das suas memórias sobre o Kurt Cobain (ex-frontman do NIRVANA), da rivalidade que existia entre o NIRVANA e o PEARL JAM, e muito mais

Eu vi toda aquela grande obra de caridade que você fez para a fundação da doença de Crohn com o torneio de futebol americano neste final de semana passado e essa é a forma que você lida com a doença de Crohn. Eu tenho leituras de entrevistas passadas onde você descreveu a dor que você sofre com essa doença, como por exemplo, quando você está em plena performance em algum show tocando com a sua excelente guitarra. E sobre histórias de como esta doença apareceu em você pela 1ª vez… Eu estou curioso para saber como você lidou com a doença de Crohn como músico em turnês com a sua banda e como foi a compreensão que os seus companheiros de banda tiveram e, basicamente, como você próprio tem perseverado através dela?

Mike: Eu tenho muita sorte… Eu tive mais do que apenas alguns casos em grau leve do que a maioria das pessoas portadoras dessa doença sofrem. Os meus colegas de banda têm sido sempre favoráveis a isso, sendo que nós já nos conhecíamos quando eu descobri que era portador da doença. Como qualquer tipo de doença, você espera que as pessoas que estão ao seu redor irão ser solidárias com você em se tratando de pessoas da sua família, da banda ou do trabalho… Seja qual for a situação, estas pessoas foram solidárias comigo e são ainda. Já que eu lido com a doença ao longo dos anos, durante as turnês é apenas uma preocupação em ficar procurando o tempo todo um banheiro para mim. Às vezes você não consegue encontrar um banheiro a tempo e quando isso acontece a coisa toda vira uma grande bagunça…, e vira uma porcaria mesmo. Às vezes esses grandes imprevistos acontecem no palco durante o show e é uma coisa super dolorosa, cara. Mas às vezes você pode passar por isso e eu somente sigo em frente, sabe? Eu sinto que, como eu continuo a atender mais pessoas que têm a doença de Crohn ou Colite, certamente as crianças mais jovens que têm esta doença em um grau realmente ruim eu meio que aprendo com elas vendo a forma que elas lidam com isso. Eu realmente aprendo com as pessoas que possuem esta doença há muito tempo e como elas lidam com isso…

Mike: Por ter linhas abertas de comunicação com as pessoas que têm a doença de Crohn ou Colite, torna-se mais fácil de suportar mesmo que esta doença seja uma porcaria. Desde que eu meio que comecei a falar sobre isso a público, eu encontrei um monte de pessoas que vieram até mim para dizer que tem tias ou tios que possuem esta doença também. Quando a doença se manifestou em mim pela 1ª vez quando eu tinha 21 anos no ano de 1986, ninguém sabia o que era e eu não conhecia ninguém que tinha esta doença também. Agora há o CCFA (Crohn’s Colitis Foundation of America) e eventos que acontecem ao redor dos EUA e ao redor do mundo em termos de caminhadas, corridas e campos para acampamentos que é onde as crianças viajam aqui para cima no Noroeste do país (Seattle), ou para baixo do país, como por exemplo, no Estado da Califórnia. Todas estas crianças possuem a doença de Crohn ou Colite e estas são todas as coisas positivas que eu procuro enfatizar quando sou questionado pela doença, sendo que eu tenho sido assim ao longo dos últimos 10 anos, sabe? Isso não quer dizer que não é uma coisa difícil ou que não é uma luta…, mas às vezes a vida em si já é uma luta, não é? Eu continuo seguindo em frente e eu espero que a doença não piore.

Eu comecei a ter problemas de estômago quando eu tinha 20 anos, então eu realmente relacionei o meu problema quando eu li a sua história. Eu sei de 01 ou 02 outras pessoas com problemas semelhantes também e eu percebo como é difícil para nós apenas falarmos dessa doença em público… É por isso que o que você está fazendo é ótimo…

Mike: Você sabe sobre a situação de imediatismo que esta doença nos faz passar, a dor, o pesadelo que ocasiona…, assim como eu sofro também. Então, eu reconheço esta doença no meu corpo e eu a entendo… É uma porcaria mesmo.

Fonte: https://whiplash.net/materias/news_798/231983-pearljam.html

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Loading...
%d blogueiros gostam disto: